Sono de Uma Noite de Outono...

Noites em claro que me perseguem
me fazem esquecer o meu objetivo,
que é tão claro e tão óbvio
que deixa de ser interessante pra ser,
só mais um instante,
de uma vida sem muitas aventuras
ou desventuras de qualquer coisa
que motive essa grande roda gigante girar,
esse processo criativo
que qualquer ser pensante passa,
é sempre interrompido pelo inevitável e nada contagiante
Sono de Uma Noite de Outono...
...sono que perdi a madrugada a fora que despertou
do repouso, do casulo, do instante de clareza do que sou
e do que não sou, do que posso e quero ou não ser
esse é só mais um bafo da manhã
quente e desrespeitoso em que me vi
mais uma vez pronto
para ser o nada que nunca quis ser


Ps.: Stone Temple Pilot...Tiny Music 1996

3 comentários:

imnotinsane disse...

Gostei imenso do texto ***

disse...

"ser o nada que nunca quis ser"... Nossa, que coisa, não? Pra refletir.

Juliana.Campos disse...

"...mais uma vez pronto
para ser o nada que nunca quis ser" (!)

amei demais o texto!