Há uma semana...

Começo essa história do fim, o que começo não tem tanta importância assim no final, afinal tudo acabou como tinha que acabar!

-Até mais, se eu não tiver tenha um bom fim de semana!(como assim, já citando que quem usa essa expressão como Piada Diogo Portugal).
-Então se agente se ver o fim de semana vai ser uma merda?

é essa piada foi a resposta que usei pra quebrar aquele gelo naquela hora, podia ter apenas dito tchau, mas achei importante frisar que queria vê-la no fim de semana e não ficar longe, sentir seu perfume, o cheiro de seus cabelos e em todo o seu corpo todos os cheiros maravilhosos em que me embriagava cada vez mais, o meu suplício era nítido, escancarado, tudo ali na cara dela, e ela, olho-me pela última vez e foi embora junto com a luz que a ilumina, brilhante e muito quente, transborda tudo e todos que estão a sua volta, será que ela é uma extraterrestre? é todo esse contentamento descontente que pode se resumir a uma relação de "Amor Platónico", as vezes eu acho que me auto-avalio o tempo todo, perai se é " Amor Platónico" e eu sei disso porquê sofrer tanto, o Tão pouco as vezes me contenta e me faz querer o mais do mais. Chega!
Não quero mais saber de amar ninguem, afinal eu jaá me amo o suficiente pra ser complicado e chato, outra pessoa pra fazer isso por mim seria sado demais.


Ps.:Bid -Bambas e Biritas - Fora do Horário Comercial - " se quiser me ver só depois das seis"

O dia clareou, o galo já de longe cantou,
calando os vagalumes,
eh hora agora, eh hora
Vou ter que trabalhar,
Não posso mais sonhar com você,
A minha vida inteira,
sozinho assim, sozinho assim, sozinho
Eu fiquei esperando amor
Parado bem aqui
A cama esta desfeita amor,
mas eu não dormi
No piso o desolado pó
Espera por seus pés
Ainda estou a te esperar,
mas só ate as 10.
De calça e paletó
Sapato em cada pé, calcei
Mas se você chegasse eu
Ficava aqui, ficava aqui, ficava
Mas tenho o que fazer
Vou ter que deletar você
Por que vc não veio
Agora adeus, adeus, agora adeus
Você disse que vinha amor
E eu acreditei,
Podia arrumar outro alguém,
Mas não arrumei
Eu vou andar pela cidade eu vou
A pé, livre de ti,
mas se vc quiser me ver
So depois das seis
E se ainda me quiser,
Só depois das seis
E se vc resolver aparecer
Eu volto depois das seis
Fora do Horário Comercial

2 comentários:

Juliana.Campos disse...

o sempre complicado, estranho e muitas vezes chato amor que nos consome!
a gente tenta, adimito, mas apaixonar- se é inevitável! (clichê básico ;D)

Camila disse...

Ame-se mesmo!
Mas amar os outros também pode fazer um bem danado.
E deixe-se levar. A gente não sabe mesmo, quando e por quem, vai se paixonar.

Ps: vc perguntou se eu já fui à Prainha, e eu respondo que aquela prainha a que eu me referia no texto, era uma praia comum,como as outras. O lugar,'Prainha' eu nunca visitei, mas tenho vontade.

Beijo.